quarta-feira, 13 de junho de 2012

As loucuras de Hick e Sol: Nosso primeiro Dia dos Namorados

OIES!

E aí? Como passaram o Dia dos Apaixonados? Espero que regados de muito carinho, abraços, beijos, tchu tchá tchá e tudo o mais! rsrsrs
Enquanto estava aqui saboreando os chocolates deliciosos da Cacau Show que o Henrique me deu (o de Romeu e Julieta é um espetáculo! Super recomendo!), lembrei que chocolates foram o primeiro presente que ele me deu, mas não foi numa situação lá muito romântica. Foi mais uma situação tragicômica...

MINI FLASHBACK:

"Era início de junho de 2007 e eu tinha terminado um longo namoro havia pouco tempo. Estava carente, a cidade inteira se enfeitando de corações, casais apaixonados aparecendo sem parar na TV e a minha relação com o Henrique era o mais "próximo" que eu tinha de um namoro. Na verdade, era um próximo bem longínquo, porque a gente tinha saído só umas três vezes. Sempre eu que ligava pra ele. E ele estava me tratando com uma certa distância lá no trampo. Fiquei com uma pulga atrás da orelha, pensando: 
"Ai, será que eu compro presente pra ele? Mas ele não é meu namorado, é só meu ficante... Mas se por acaso ele me der uma flor, que seja, e eu estiver com a mão abanando, minha cara vai cair no chão... Vou dar uma lembrancinha. Mas não vou gastar muito não, porque vai que não dá certo, né? =P Vamos ver o que eu acho no R$ 1,99."
Comprei uma caixa de Sonho de Valsa, um coraçãozinho de pelúcia (espirrei nele o meu perfume favorito, afinal uma macumbinha branca é sempre bem-vinda!) e gravei um CD com as minhas músicas românticas favoritas (porque eu não aguentava mais ouvir Ivete Sangalo Ao vivo no Maracanã no carro dele, aff!). Tive um trabalhão que eu nem esperava ter pra montar tudo...
Chamei-o pra sair, entrei no carro, joguei os presentes no banco de trás rapidamente pra não estragar a surpresa (e realmente, ele nem percebeu) e quando ele parou o carro pra gente descer no bar. Soltei alegremente:
- Feliz dia dos namorados, Henrique!
Eis que me veio a resposta que eu nunca vou esquecer, pelo resto da minha vida:

- IH, SOLANGE, SAI DESSA!!!!"

XUUUUUUUUCRO!!!!!!!!! GROOOOOOSSO!!!!!!!!! Foi assim nosso primeiro Dia dos Namorados. Péssimo! Lembro que na hora eu fiquei puta de raiva, fechei a cara, não queria mais saber de conversa e pedi pra que ele me trouxesse de volta pra casa. Nem falei dos presentes.
No dia seguinte, ele viajou pra São Paulo. Na outra manhã, eu estava sozinha no setor, ele chega, tira um embrulho do jaleco e coloca na minha mesa, vira as costas e vai pra sala dele. Abri. Era uma caixa de Ferrero Rocher. Saí correndo atrás dele e disse, "calmamente":

- VOCÊ PENSA QUE PODE ME COMPRAR COM ESSA PORCARIA DE FERRERO ROCHER, SEU IDIOTA?!?!? PEGA ESSA P$#@%$#%$#RRA DE CAIXA E ENFIA BEM NO MEIO DO SEU C$¨#¨%¨$#¨%# (isso mesmo: o lugar que rima com Jaú...), SEU CARA DE ÉGUA!!!!!

Hehe parece briga do Armani e da Fátima
Pois bem, girls, toda essa parábola não foi gratuitamente. Santo Antônio, que me perdoe, mas eu acredito que "agarrar" um "marido" ou, melhor dizendo, manter uma relação estável e saudável, depende, em grande parte, de nós mesmas, do poder da atitude. Eu sempre enxerguei no Henrique uma lista enorme de qualidades. Mas ele sofria de um mal que aflige grande maioria dos homens e que deixa a mulherada aflita: Medo de Compromisso (MDC).
Mas, então, como foi que esse ogro xucro ex-micareteiro com ojeriza à palavra "namoro" se tornou meu príncipe duartinês futuro marido lindo?
Simples. Segui o conselho dele: Saí dessa. Deixei a vida nos levar.
Percebi que ele sofria de MDC e que os meus telefonemas e cobranças do tipo "O que que você quer de mim, Henrique?", "Que tipo de relação é a nossa, Henrique?" faziam com que ele corresse de mim como gato da água. Percebi que essa atitude faziam com que eu me desvalorizasse e ele pensasse que meu mundo girava em torno dele. Parei de ligar, me dediquei mais à facul, ia pro forró com minhas amigas. Aos poucos ele foi percebendo que o que eu tinha a oferecer ele não encontraria em nenhuma micareta, festa, show, balada, etc. e que outros carinhas também percebiam isso, mas ele não podia reclamar de nada. Afinal, ele não era só o meu ficante?
Meu trabalho foi apenas ter paciência. E apreciar cada etapa do relacionamento. Se ele precisava de um tempo maior pra se abrir emocionalmente, tudo bem. Mas, sutilmente, consegui deixar bem claro que eu também tinha o MEU tempo e as MINHAS necessidades. E que a minha paciência também tinha limite. A partir do momento que eu impus o meu valor, ele o reconheceu.
Então, nesse finalzinho de dia de santo casamenteiro, um conselho pras ficantes, enroladas, namoradas, amantes, esposas, companheiras e tico-tico no fubá: O MDC existe porque os homens não reconhecem o valor da mulher que está do lado deles. Façam com que eles percebam que o tempo de vocês é valioso, que seu mundo não gira em torno dele. Se a relação está gostosa, curta muito mesmo, deixe a vida rolar. Mas se a relação não está mais tão boa, não se acomode só pelo costume de ter a pessoa ao seu lado ou por querer um casamento. Tenha sagacidade pra perceber se o outro está se doando para a relação da mesma forma que você. E tenha a certeza que um homem pela metade não tem atitudes de Homem e sim de moleque. Aí vai depender se você quer ser Mulher ou ser babá de barbado...

Besitos

8 comentários:

Fran Huesa disse...

que historia mais doida...mas no final sempre dá certo neh...e no seu caso deu mto certo...rsrs


bjooo

http://respireecase.blogspot.com.br/

Fabiana Coelho disse...

Sol, estou rindo alto até agora... quem te com essa carinha toda meiga, com essa voz baixinha toda delicada, jamais vai imaginar que você disse tudo aquilo pro Henrique, kkkkkkkkkkkkk!!!!
Mas pelo jeito fez ele acordar, né???


Bjssss e uma ótima quinta!!!!

Kathe disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkk
meu Deus! Morri de rir com seu relato! Vc é muito engraçada, adoro vir por aqui! E a história de vcs é surpreendente!

Beijos!

http://sweetnovember-kathe.blogspot.com.br

Acsa s2 Giulian disse...

kkkkkkkkkkkkkkk..... morri de rir com seu relato rsrsrs... Concordo plenamente com tudo que você falou, nós temos que nos valorizar!!!

Bjus

Nise disse...

Que historia hein...mas meu amor tambem sofria deste mal...ate terminamos uma vez por conta disto...ele se sentiu pressionado e terminou tudo comigo...mas depois nos acertamos e agora ele tbm é meu principe do cavalo branco,rsrs

Daiane Rodrigues disse...

huahuauhahua, eu dei muita risada agora... é bem o que a fabiana falou quem te ve assim não imagina, alias eu imaginei e morri de rir mais ainda.....

bjsss flor.

Fabrício Silva disse...

site pra ver a classificação no Estado Sol : http://www.concursosfcc.com.br/concursos/sedsp109/result/index2.html

página com as datas e horários:

http://www.concursosfcc.com.br/concursos/sedsp109/microsoft_word_-__ie_se_1-2009__edital_convocacao_doe_19-06-2012__3a_etapa_.pdf

eu vou na quarta-feira o guilherme na segunda, não vai dar pra ir junto.

ass. Fabrício

Vanessa Santos disse...

Oi SOl!!!Nossa, eu sei que você nem faz idéia de quem eu sou...mas venho acompanhando seu blog a um tempinho já e adoro de paixãooo!!!tanto que resolvi seguir o seu exemplo e criei um blog pra contar sobre os preparativos de meu casamento tbm! Tá cheirando a tinta de tão novo e eu gostaria muito que você fosse visitá-lo! seria uma honra muito grande ter vc como seguidora do meu humilde blog!hehehe!bjinhussssssss

http://senhoritacasamenteira.blogspot.com.br/