sábado, 27 de novembro de 2010

Planilhas para Casamentos

Olá pessoinhas queridas!

Desculpem a demora, minha gente, confesso que estou meio relapsa com o blog, mas é que a vida anda corrida. E por falar em corrida, dia 05/12 tem "Loucuras de Hick e Sol" em Araçatuba, me aguardem e torçam por nós! Vamos à pauta de hoje:

Lendo em muitos blogs por aí, vi que planilhas para ajudar no controle dos gastos no casamento são de extrema importância. Aí colocando os meus “vastos” conhecimentos de Excel em prática comecei a montar o arquivo CASAMENTO HENRIQUE E SOL e confesso que ficou bem feinha, bem sem gracinha mesmo, assim meio ridícula sabe... Primeiro, eu fiz a planilha “Alugar é melhor” pra organizar nosso plano de compra do apê, quanto que a gente teria que juntar por ano para dar uma entrada maior no financiamento.
Aí, fiz outra para controlar os gastos do casamento, lua-de-mel, etc. comparando com os valores orçados pela Revista Bom Dia Noiva e Festa, de dezembro de 2004 e o quanto a gente teria economizado.

(Porquê da comparação: a revista publicou uma matéria chamada “O valor de um casamento” que fez meu querido noivinho cair duro para trás!
“- O QUÊ?!?! SOL, 67 MIL NUMA NOITE?!?!?! TÁ LOCO!!!!!!!!”
“- Palma, palma não priemos cânico! Henrique Anselmo, é lógico que os quatrocentões de Bauru gastam tudo isso mesmo, brincando assim... ’67 mil há (risada esnobe), bobagem...’ Mas você já deve saber que sua noivinha não nasceu em berço de ouro e tem plena consciência disso! Nós vamos conseguir fazer nosso lindo casório com no máximo 10 mil! Eu te prometo! E além do mais, não são 67 mil na revista, são 67 mil e 600 reais, só!”
Também, né gente puseram o valor do sapato da noiva em 2 mil, o hotel da noite de núpcias em 6 mil. Com quem será que fizeram essa pesquisa? Com certeza não foi com as leitoras da revista (a revista é parte integrante de um jornal que custa R$ 1,25)!!!!!!!!!!!)

Depois, fiz uma pra controlar os gastos com a montagem da casa e outra pra estimar o número de convidados. O Henrique fez algumas alterações, criou outra planilha pra contabilizar os nossos "bens" (a Fan e a Titan).
Daí, na comunidade Noivas de Bauru, a Luciana Paixão me mandou uma planilha bem mais completa que a minha para Controle de Gastos, onde dava pra colocar as datas dos pagamentos à vista e à prazo e quanto sobrou na receita.
No fim, minha planilha fica assim:
feia que nem o Frank!
E eu comecei a procurar na net também e achei uma bem bacana no site Planejando meu Casamento com um check list completo e pra fazer a lista dos convidados que já contabiliza o número de convites e onde dá pra colocar os contatos.

Então, dando uma de Dr. Frankestein, corta aqui, cola lá, muda isso, etc. dei uma geral na minha planilha e ficou bem pior do que antes!!!!! HUAHUAHUAH Tá enorme! Mas eu juro que ficou muito útil às minhas necessidades! Se alguém quiser eu passo por e-mail, só deixar nos coments, mas não sei se dá pra mais alguém além de mim se organizar por ela! rsrs

Besitos




P.S.: Pessoal, obrigada por me acompanharem! Hick Amore obrigada pelas suas dicas para o blog sempre, sei que muitos noivos não tem saco pra isso. Pipinha e Fabrício obrigada pelos coments sempre presentes. Lalah, Dê, Manu, Jully e Julliany sejam bem vindas e boa sorte a todas nós!

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Casamento dentro da Lei

Olá pessoas!!

Lendo o Jornal da Cidade de hoje me espantei a manchete:

“Mulher planeja casamento e descobre que está ‘morta”.

COMO ASSIM?????
Sandra Medeiros, 56 anos, abandonou o ex-marido, pra tentar escapar da violência doméstica que sofria e não procurou a separação judicial, encontrou um novo companheiro, com o qual convive há 23 anos e planejava regularizar sua união. Porém, descobriu que legalmente ela está morta e enterrada! Isso porque seu ex-marido, quando sua atual companheira faleceu, apresentou sua certidão de casamento com Sandra (um documento sem foto) como comprovante de identidade para o laudo médico de óbito!!!!!!!! E agora a coitada diz: “Como é que eu vou ser enterrada quando realmente eu morrer?



Clique na imagem para ler a reportagem completa
 


Pois é, sad but true. Pensei: “Se as pessoas conhecessem um pouquinho mais sobre legislação e direitos e deveres civis, esse casos seriam só ficção, era só ela ter procurado se separar judicialmente logo no começo...” (Mas, infelizmente, nós sabemos que é essa ignorância que mantém aqueles que realmente governam o país no poder)

Por isso, noivinhas espertas, pesquisei a legislação do casamento: o novo Código Civil (Lei 10.406, de 10/01/2002) assinado pelo presidente Fernando Henrique Cardoso, que, além de outros, regulamenta o assunto casamento, começando no Livro IV, artigo 1.511 (é muito bom conhecer a versão completa, pode parecer um pouco chato no começo, mas você descobre coisas muito interessantes e úteis).

E essa é a definição de um casamento pela Lei Nacional:

"Art. 1.511. O casamento estabelece comunhão plena de vida, com base na igualdade de direitos e deveres dos cônjuges."


Fica a dica! Besitos

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Porque o amor não tem idade!!!

Manchete principal da capa do Jornal da Cidade de 17/11/2010 (e viva o amor!):



“A gente passeia, vai ao cinema, sai para dançar. Somos muito companheiros”, diz Maria Inez Gazarini Conde Piesker sobre o relacionamento com o marido, o alemão Georg Stefan Piesker, com quem se casou há um ano e meio. A empolgação que ainda permanece da época em que eram namorados é comum entre casais que se uniram há pouco tempo e, com ambos, não poderia ser diferente. Ele com 72 anos, ela com 59, Maria Inez e Georg não se intimidam em revelar - e demonstrar - que ainda vivem como dois “pombinhos”.
Moradores de Bauru, eles fazem parte de um novo fenômeno que vem ganhando força nos últimos cinco anos na cidade: o de pessoas que se casam oficialmente depois de atingir a maturidade. Segundo a pesquisa “Estatísticas do Registro Civil 2009”, divulgada na semana passada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), comparando o ano de 2003 com 2009, o registro em cartório de matrimônios entre pessoas com mais de 50 anos quase dobrou em Bauru. Somente no ano passado foram 91 uniões oficializadas, ante as 46 registradas cinco anos atrás.
Após os 60 anos o índice de aumento é de 55,5%, ainda maior que a média de casamentos envolvendo todas as idades, de 30%. O aumento da expectativa de vida, o maior acesso a recursos estéticos e de saúde, a conquista da autonomia feminina e a diminuição do preconceito são apontados como os principais fatores que colaboraram para essa mudança na sociedade.

Segundo a psicóloga e terapeuta de casais Maria Regina Corrêa Lopen Vanin, o ingresso da mulher no mercado de trabalho permitiu não apenas que a mulher pudesse tomar decisões sobre sua vida no aspecto financeiro. Mais do que isso, ela adquiriu maior conhecimento e consciência sobre seu corpo e suas vontades.
“As mulheres estão se mantendo interessantes por mais tempo, intelectualmente e fisicamente falando. Na década de 1950, uma mulher de 40 anos era considerada uma senhora que, se ficasse viúva, não se casava mais. Essa realidade foi completamente mudada”, pondera Regina, lembrando que, naquela época, os homens acima dos 50 anos geralmente se casavam pela segunda vez com mulheres bem mais jovens. No ano passado, de acordo com a pesquisa, de todos os homens de 60 anos ou mais que se casaram em Bauru, apenas um se uniu com uma mulher com menos de 40 anos.
Liberação

Dentro deste contexto, aponta a psicóloga, a liberação sexual da década de 1960 também fez com que a mulher conhecesse melhor seu corpo e entendesse que poderia realizar seus desejos. “Enquanto essa revolução acontecia, o homem começou a descobrir essa mulher bem resolvida, que mais do que um objeto ou um troféu que ele poderia carregar, poderia ser uma parceira com maior afinidade de pensamentos, com quem ele dividiria sonhos e planos de vida”, considera.

Simultaneamente a essa transformação comportamental - e até por conta dela -, o desenvolvimento científico permitiu a descoberta de medicamentos que estimulam a libido e a melhoria de qualidade de vida na terceira idade, que também foram importantes para acelerar de maneira intensa o número de casamentos em tão pouco tempo.
“Tanto o homem quanto a mulher desta faixa etária passaram a se permitir mais. E as famílias, a aceitar melhor a ideia de que eles poderiam ter uma nova oportunidade de serem felizes ao lado de novos companheiros.”
Mais velhas com mais jovens
O casamento entre mulheres mais velhas e homens mais jovens também está se tornando mais popular em Bauru. Segundo a pesquisa “Estatísticas do Registro Civil 2009”, realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), os casamentos entre pessoas com esse perfil de união já somam 15,2% do total. Enquanto em 2004 foram registrados 221 matrimônios, em 2009 esse número subiu para 372, um crescimento de 68,3%.

Segundo o IBGE, os resultados mostram que o preconceito em relação a este tipo de relacionamento está diminuindo. Em 2009, o maior volume de casamentos em que ela é mais velha do que ele ocorreu na faixa etária de mulheres de 25 a 29 anos, que respondem por 220 do total de registros civis deste tipo.
Felicidade em toda idade
É essa receita - a de ser feliz - que os aposentados Maria Inez e Georg Stefan Piesker seguem à risca desde que se conheceram, há cinco anos. Foi quando ele deixou a Alemanha para viver em Bauru, cidade onde possui parentes, para não viver sozinho após a viuvez.

Assim que chegou, começou a frequentar a Universidade Aberta à Terceira Idade (Uati/USC) e, lá, conheceu Maria Inez. Segundo ela, a atração foi imediata e o início da troca de olhares, uma consequência inevitável.
“Nós fazíamos ginástica e dança de salão juntos. Foi onde tudo começou”, revela ela, que não teve filhos, assim como Stefan. Mas, ao contrário dele, Maria nunca havia se casado. “Não tinha encontrado ninguém que valesse a pena. Depois de casar, a vida muda muito para uma pessoa como eu, que passou tanto tempo sozinha. Mas estou realizada”, confessa.

Além de participar das atividades da Uati e realizar programas típicos entre namorados, o casal tem planos de comemorar o segundo ano de casamento, em julho do ano que vem, com uma viagem à Alemanha, país de origem de Stefan. “É como uma lua-de-mel”, comemora Maria Inez.


terça-feira, 16 de novembro de 2010

As loucuras de Hick e Sol - Corrida do SESC/Bauru

Queridos amigos!

Mais um post nessa semana pra me desculpar por não ter dado as caras no blog há muito... Era pra ter escrito sobre isso ontem, mas eu cheguei detonada e postei um texto que eu já havia deixado pronto ;P !

Pois bem, muitas vezes eu coloco o Henrique em muitas roubadas, melhor dizendo "Programas de índio". Já fomos assistir filmes horríveis e chatos, parecemos dois tios dançando com os teens na festa à fantasia do Yázigi (porque eu era a mulher mais alta da festa!!!!!!), desfilamos nossos corpinhos brancos e SUUUPER definidos (heheheh) nas areias de "Arearva Beach", entre muitas "Loucuras de Hick e Sol".

"Medalhistas" posando perto da Largada/Chegada
A última foi ontem: enquanto muitas meninas passaram com seus namorados/ noivos/ maridos/ ficantes/ amantes o feriadão da Proclamação da República de maneira romântica com um almocinho, jantarzinho, filme, etc. eu botei meu querido noivo pra correr!!!!!!! 6 quilômetros!!!!!!!!!

Corrida do SESC/Bauru

A loks aqui caiu na onda dos professores de ginástica do SESC e foi correr em Araraquara depois de 12 anos de ócio total, só pra festar! Daí que eu tomei gosto pela coisa e comecei a treinar um pouquinho e decretei: "Henrique Anselmo, a próxima será em Bauru e você vai comigo!!!!!"

Parabéns SESC pela organização do evento!
O chato foi não terem deixado nossos professores da GMF
correrem junto com a gente! 
E ele foi!! "Vamos Sol, deixa arder..." A prova começou às 8h, mas a gente teve que chegar lá no Vitória Régia às 6h40 DA MADRUGADA pra pegar o chip da corrida, guardar as coisa passar protetor e fazer o aquecimento. O percurso era de 6 km, com saída do Vitória, ia pela Nações até o Confiança Flex, descia até a Praça do Líbano e voltava pro Vitória Régia. UFA!!!!!!! Terminamos com 39min e 40seg (fiz 45 min em Araraquara) correndo lado a lado!!

MORAL DA HISTÓRIA: Ter alguém com quem contar em todos os momentos sem nunca perder o bom humor não tem preço. Seja no exercício ou no ócio, com batom ou pontos na boca, na alegria e na TPM. Obrigada por existir na minha vida meu noivo companheiro topa tudo!
  
Dupla dinâmica cheia de orgulho!
Não, amor, não é de ouro!

 


















Porque nosso lema é nos divertirmos e no final a gente sempre dá boas risadas! Afinal, os exagerados sempre tem as melhores histórias!


Retardada!


segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Quem casa quer casa - parte II

No post anterior “Fazendo planos: definindo prioridades e juntando grana” eu disse que a compra do nosso apê próprio está em último lugar na nossa listinha de prioridades, porque:

- o Henrique começou a ficar muito ansioso, até estressado, eu diria. Todo dia ele me ligava, dizendo que estava procurando em todos os sites de imobiliárias, que viu um apê legal, que ligou pra marcar visita... Aí vinha um pouco de frustração, porque os apês mais legais não aceitavam financiamento e o dinheiro que a gente tem pra entrada do financiamento ainda é pouco.

- Nós ainda não temos estabilidade profissional. Tudo bem, nós ganhamos um salário razoável que garante a concretização dos nossos sonhos, mas eu ainda não trabalho na minha área e ele se forma em Engenharia Elétrica só no começo de 2012. Então, pode acontecer dele ser transferido ou arranjarmos um emprego melhor em outra cidade. Eu já ouvi conselhos: “Ah, mais aí você pode alugar ou vender!” Muita dor de cabeça: você acaba de comprar seu cantinho, aí tem que arrumar a mudança correndo, e vender ou alugar um imóvel com pressa é sinônimo de prejuízo.

- Tentamos o “Minha casa, minha dívida”. Aqui em Bauru, as opções de apartamentos que estão dentro do programa são um caso sério! Os apartamentos são minúsculos por um preço bem maior que o de muitas casas grandes por aqui. O Terra Brasilis da MRV (que tem quase cinco quarteirões) contava com apartamentos de 45 m² por 95 mil!!!!!!!!!!!!!!! Absurdo! Não aceito!
Aí você financia a perder de vista, por uns 30 anos: o ovinho sai no final pelo dobro do valor!

Segundo Gustavo Cerbasi, em “Casais inteligentes enriquecem juntos” (já postei sobre o livro), o negócio ideal e mais lucrativo é investir os R$ 100 mil a juros de 1% ao mês e alugar um imóvel com o que rendesse. Assim, você teria uma grande reserva de dinheiro e não precisaria se preocupar com a manutenção do imóvel.

Contudo, o apê próprio é sonho de muita gente e é o nosso também. Então, o plano é o seguinte: a gente poupa o máximo em contas separadas (porque se colocarmos com a conta conjunta a gente vai acabar usando o dinheiro do casório pro apê) e vai morando num aluguel barato por uns cinco anos. Daí, o dindin rende mais um pouco e a entrada no apê é maior!

Desde Junho a revista Minha Casa traz uma série de matérias sobre compra da casa própria. Lá eles explicam melhor essa matemática de juros, aluguel, entradas e financiamentos. Segue o link para que quiser conferir:


quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Fazendo planos: definindo prioridades e juntando grana

Como a data é 2012 e a gente não aguenta mais esperar, aliás nós achamos que não é justo conosco esperar pra juntar as escovas, porque falta algum item na casa ou porque acabou-se a grana que iria bancar a festa, então, pra começar a mexer nossos pauzinhos, definimos um "plano de metas" e prioridades pra providenciar. Aí a gente vai conquistando o que for mais importante pra gente, (aí, se até 2012 não der pra fazer tudo, não deu, ué paciência!!!!!!!!):

1º - Casamento civil: porque já é o suficiente pra minha mãe não achar que o Henrique vai me largar na próxima esquina.

2º - Viagem de lua-de-mel: porque nós amamos uma aventura, somos cidadãos cosmopolitas e ninguém é de ferro, né?

3º - Móveis essenciais para o apê: no mínimo o fogão, a geladeira e a cama, porque se ninguém der esses itens de presente nós não vamos passar tanta necessidade (eu acho...) e o restante a gente providencia com o tempo (eu acho...).

4º - Cerimônia religiosa: porque  é onde se concentra maior parte das tradições de casamento, tipo vestidão branco, buquê, padrinhos nos trinques, marcha nupcial, "eu prometo te amar e te respeitar...", "... e agora pode beijar a noiva", etc. Que é onde fica a graça do casamento e dá MUUUUUUITA vontade de se descabelar com todos esses detalhes! Dá pra tirar  muitas fotos pra lembrar desse dia tão especial, em que a gente afirma nosso amor e a vontade de fazer o melhor pelo outro diante dos nossos amigos mais queridos! É o que emociona na união...

5º - Festa!!!!!!: pra agradecer o carinho dos queridos amigos que acompanharam nossa trajetória e também pra chutar o balde!!!!!!! Uhuuuuuuuuuu!!!!! E ninguém é de ferro, né?

6º - Apê próprio: É isso mesmo, está em último lugar, por favor não me apedrejem ainda, eu juro que explico no próximo post!

Conta Conjunta

Continuando com o plano de antecipar o que a gente puder, exposto no post "Nossas 'Douradinhas" de 29/10, mas como ainda é cedo pra fechar os contratos, decidimos abrir uma conta poupança conjunta pra reservar o dindin. Além de reforçar a união e a confiança um no outro, a idéia foi boa pra evitar desesperos com contas no vermelho. Optamos pela Caixa Econômica, porque, apesar do atendimento de lá ser um caos, achamos que facilitaria quando a gente fosse financiar o apê. Sem contar que cada um de nós ganhou um Poupançudo! (Acho que foi a melhor parte do atendimento...)

Pena que só tinha esse modelo, o Balum...

sábado, 6 de novembro de 2010

Quem casa quer casa - parte I




Casa ou apartamento?









Eu percebi que o assunto casamento ficou sério mesmo no começo do ano, quando eu dei um flagrante no Henrique no Posto de Vendas da MRV. Subindo a Aureliano Cardia, indo pra facul: “Eu conheço aquela Biz vermelha...” Olha dentro do posto de vendas: “Eu conheço aquele mocinho!” Cheguei junto pra averiguar a situação:
- Olá, desculpe o atraso...
- Henrique, essa que é sua noiva?
“Noiva?!?! Mas ninguém tinha pedido minha mão em casamento ainda!”
- Sim.
- Então, vocês podem ver que esse empreendimento tem as melhores taxas de juros, e ainda dá pra conseguir um subsídio do governo e blá, blá, blá...

- Tá pensando em morar sozinho?
- Lógico que não Sol! Eu quero morar com você!
- Se é assim, promete que você não vai tomar nenhuma decisão sozinho?
- Prometo.
- Eu quero participar da escolha também.
- Tudo bem.
- E eu não gosto de apartamento! Prefiro casa que é maior, tem mais liberdade, não precisa pagar condomínio.
- Isso é porque você está acostumada. O condomínio geralmente inclui a conta de água, gás, portaria, segurança e manutenção da área externa. No apê a segurança é maior, já pensou se eu precisar viajar a trabalho e você ficar ouvindo barulhos à noite sozinha?
- É... pensando por esse lado...
- Sem contar que o apê é bem mais fácil de limpar, não tem quintal pra se preocupar, pra ficar lavando no final de semana.
- ME CONVENCEU!!!! Quero um apartamento já!!!




P.S. 1: E você? Prefere casa ou apartamento? Responda a enquete ao lado!


P.S. 2: Muito obrigada pelos coments dos posts anteriores!!!!!!!! Muito obrigada a quem lê também!!!!!!!! Obrigada pelo carinho de acompanhar minha jornada, isso me dá forças para continuar!!! Besitos


P.S. 3: Dando continuidade ao post anterior, segue link com a matéria "Até que o dinheiro (não!) os separe" da edição de Setembro da Revista Você S/A:

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Casais inteligentes enriquecem juntos

Foi indicação de uma amiga nossa lá do Hospital Estadual, a Paula. Eu li e passei pro Henrique ler. É realmente muito bom, vale a pena pra todos e principalmente pra quem vai começar uma vida a dois.

Com a experiência adquirida na vida pessoal e profissional, o que eu concluo é o seguinte: O brasileiro não tem inteligência financeira. Não no sentido de ter ações na bolsa de valores e procurar os melhores investimentos imobiliários. Mas de não conseguir poupar e se planejar para superar os imprevistos. Eu já vi esposa que tinha que esconder todo o dinheiro do marido pra ele não gastar com cachaça, marido passa o dia xingando a esposa pros amigos porque não aguenta seus hábitos consumistas, e o contrário também. Já vi esposa fazendo financiamento e atolando o pé na jaca pra comprar carro e não precisar pedir o do marido emprestado. Já vi gente que não pagava as contas de água e luz durante meses, mas que tinha NET em casa. E também já vi casais que dividiam tudo: "Isso é conta sua, isso é conta minha... Me devolve o dinheiro que eu te emprestei ontem!"

Eu acho que a principal cilada do casamento é achar que tudo vai ser um conto de fadas, tudo lindo e maravilhoso, que dá pra viver só de amor, num castelinho isolado do mundo... Dinheiro, ou melhor, a maneira como vocês vão lidar com o dinheiro é assunto pra ser discutido SIM! Em todas as etapas da história de vocês. Não é interesse, falta de romantismo ou desconfiança. É necessário pra quem quer viver um amor real.

E principalmente pra quem não quer cantar:

"Meu bem pra cá, meu bem pra lá
 É assim que o casal canta na hora de se casar.
 Meus bens pra cá, meus bens pra cá
 É assim que o casal canta na hora de separar!"
 HUAHUHAUHAUHAU

Resolvi escrever este post depois de uma conversa com meu amigo Fabrício. Fica a dica e abaixo o link pra baixar o livro em PDF:


OBS: São só 92 páginas! É "fascículo" de ler! hehehe

Besitos