sábado, 23 de outubro de 2010

Do Blog

Existem por aí muitos blogs de noivas sonhadoras como eu e eles realmente são muito úteis para trocar informações. Eu já aprendi um bocado com eles, principalmente com o Casando Sem Grana da Sammia (eu adoro esse blog!! Putz... eu sou muito muquirana mesmo!). Mas dar dicas de como fazer isso ou aquilo não é a intenção do meu blog.
A ideia surgiu quando minha mana Ana Gabriela começou o Ao Infinito e Além. Ela está no programa de intercâmbio Au Pair e planeja ficar de um a dois anos nos States. O blog, como ela disse uma vez, servirá para eu e a nossa mamãe supercarente sabermos o que ela estava aprontando lá fora. Então caiu a ficha: "Nossa, eu vou ter que cuidar de toda a preparação do casório e montagem do apê sem as críticas ácidas e grosseiras tipicamente britânicas da minha querida Pipinha!! Meu Deus, o que eu vou fazer?!" Por isso, o blog: Pra minha maninha acompanhar o que eu estou aprontando por aqui...

É claro, também tem a parte de documentar essa história de amor... Eu conheci o Henrique quando nós trabalhávamos no mesmo setor no Hospital Estadual de Bauru. Aí xaveco vai e vem, fica aqui, fica lá, discute vez sim, vez não. O importante é que ambos tiveram inteligência o bastante pra enxergar além das aparências e das primeiras impressões e descobrimos grandes afinidades.
E depois de 3 anos e 7 meses, nós conseguimos viver um sem o outro, o problema é que nós não queremos! Acreditamos que nossa vida em comum vai dar muito certo!

Do nome do blog

Infinito Enquanto Dure causou um certo estranhamento ao meu noivo: "ô loco Sol, como assim?", mas o belo Soneto da Fidelidade de Vinicius de Moraes é um pouco mal interpretado. Eu gosto desses versos porque acho que o amor não é como uma pedra preciosa que você lapida, põe no pescoço e dura pra vida inteira (bem, isso depende, se você nunca for assaltado...). Pra mim, o amor é como uma planta, é um ser vivo que cresce dependendo de como nós o alimentamos. Pode ser uma árvore frondosa, ter um monte de ervas daninhas crescendo ao redor, ser pé de manga, ou ser infrutífera e também pode secar e morrer...
Pra explicar melhor, Vinícius...

SONETO DA FIDELIDADE

De tudo, meu amor serei atento
Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto
Que mesmo em face do maior encanto
Dele se encante mais meu pensamento.
Quero vivê-lo em cada vão momento
E em seu louvor hei de espalhar meu canto
E rir meu riso e derramar meu pranto
Ao seu pesar ou seu contentamento.
E assim, quando mais tarde me procure
Quem sabe a morte, angústia de quem vive
Quem sabe a solidão, fim de quem ama
Eu possa me dizer do amor ( que tive ) :
Que não seja imortal, posto que é chama
Mas que seja infinito enquanto dure.

Nenhum comentário: